X

Uso de cookies: Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar la experiencia de navegación y ofrecer contenidos y publicidad de interés. Si continúa navegando, consideramos que acepta su uso. Puede obtener más información, o bien conocer cómo cambiar la configuración, en nuestra Política de cookies

ComunicaeV5

Empresa britânica quer aumentar incentivos para os painéis solares instalados nos telhados

A Rowan Energy lançou um novo programa de incentivo solar, o Rowan Rewards. Esta plataforma oferece aos clientes pontos, semelhante a outros programas de fidelidade, pela energia produzida pelos painéis solares instalados nos seus telhados

Publicado no Londres, Reino Unido o no Internacional , Ecologia

Desde o fim das tarifas feed-in em Inglaterra, em 2019, não houve incentivo financeiro para adotar a tecnologia solar. A Rowan pretendeu mudar isso trazendo os mecanismos de compensação de carbono e o uso de blockchain, que juntos, permitem melhores recompensas ambientais e financeiras para os seus clientes. Esta start-up britânica acredita que a produção de energia renovável seja tão valiosa para os seus produtores como para o meio ambiente.

Atualmente, os clientes potenciais de energia solar, em Inglaterra, podem ganhar no máximo uns 5,5p (£) por kWh pela eletricidade produzida pelos seus painéis solares. Isso significa que, de acordo com o seu fornecedor de energia solar, pode levar até trinta anos para ver o retorno do investimento, que é mais longo do que normalmente dura um painel solar.

Hoje em dia, os clientes particulares da Rowan Energy já podem ganhar até 15,5p (£) por kWh com a possibilidade de verem esse valor aumentar no futuro. O que pode gerar lucro em menos de 5 anos.

A Rowan distribui “recompensas” por cada kWh produzido pela instalação solar, não apenas o que está alimentando a rede. Esse nível de incentivo é possível reunindo várias novas tecnologias num pacote. O backbone da plataforma é um blockchain personalizado. Sendo este uma base de dados segura que tradicionalmente usa uma grande quantidade de energia para funcionar, a Rowan construiu o seu próprio blockchain desde o zero que foi projetado para funcionar como um Raspberry Pi, tornando-o de baixo consumo de energia e, portanto, baixo teor de carbono.

Cada cliente recebe um novo tipo de medidor inteligente chamado Rowan Smart Miner conectado à instalação solar. Este Smart Miner não é intrusivo e pode ser adaptado às instalações solares atuais ou adicionado a um kit solar já adquirido.

O Smart Miner é colocado atrás de um medidor inteligente existente, e conta a energia produzida pela instalação solar no telhado enquanto valida as transações dentro do blockchain.

Uma vez instalado, o Smart Miner conta a energia produzida pelos painéis solares e recompensa os seus proprietários com pontos acessíveis desde uma interface num computador ou de uma aplicação móvel. Como esses dispositivos estão atrás dos painéis solares, o blockchain personalizado de Rowan é quase totalmente movido a energia solar e neutro em carbono.

Os pontos de recompensa representam 10p (£) por cada kWh produzido. Os pontos ganhos podem ser transferidos para a conta PayPal do cliente ou para o cartão de débito da Rowan, com a opção de doar esse benefício diretamente a instituições de caridade que trabalham contra a escassez de combustível.

Além disso, a empresa garante que ao integrar o Rowan Energy Rewards, os clientes não precisam mudar o seu fornecedor atual.

Em Fevereiro de 2021, a Rowan lançou a versão beta do seu programa. Trabalhando com um dos principais instaladores de painéis solares, a Ecocute (UK), a Rowan começou a instalar o Smart Miners em 50 propriedades para testar e afinar o programa antes do lançamento nacional. A start-up tem o objetivo de instalar 10.000 unidades do Smart Miner até o final do ano. Ao formar parcerias já no Canadá, França e Polónia, a Rowan Energy espera replicar a plataforma e oferecer os mesmos incentivos globalmente.

Os planos da empresa passam por conseguir um número substancial de clientes, para depois lançar a plataforma de negócio de energia peer-to-peer. Isso significa que os consumidores poderão vender a sua energia diretamente a outros consumidores, com base na quantidade de energia que o cliente necessita e o produtor que tenha mais próximo podendo, inclusive, vender a sua produção de energia solar à família, amigos ou outras pessoas.

Com esta iniciativa, a Rowan Energy espera tornar-se na primeira empresa de energia verde do mundo movida pela comunidade. Os clientes poderão visitar o seu dashboard e ver ao vivo onde a energia é produzida. Ainda segundo os responsáveis da empresa, esperam não apenas aumentar os benefícios dos produtores, mas também que a energia verde seja mais barata para os consumidores e eliminar o uso controverso dos Certificados de Energia Verde para o branqueamento verde produzido por centrais que usam gasolina e carvão. Algumas empresas energéticas compram a chamada energia "suja", para compensar as emissões de carbono e vendê-la a clientes de energia verde “inocentes”.

A ideia do negócio surgiu em 2018 em Cambridge, na Inglaterra, pelo seu CEO e fundador: David Duckworth. Depois de ter visto o seu projeto rejeitado por várias empresas, David trabalhou para desenvolver a sua ideia e um plano de quatro etapas para levar o novo incentivo ao mercado.

Na primeira fase, a Rowan Energy construiu uma versão beta do seu blockchain de baixo carbono e trabalhou com o fornecedor de medidores inteligentes PassivSystem para lançar uma prova de conceito que controlava a produção de energia de 175 casas e as recompensava por essa mesma produção.

Já na fase dois, a Rowan levou o blockchain a produção e adicionou o token base, o Rowan Coin, às principais bolsas ProBit e LAtoken. Período em que também começou a recrutar talentos de todo o mundo para transformar a visão de David em realidade.

Concluída a segunda fase, a Rowan finalizou o desenvolvimento da tecnologia Smart Miner e produziu o seu primeiro produto de hardware. Trabalhando conjuntamente com a Emonpi, empresa galesa de medidores inteligentes open-source, avançaram para a fase três, onde instalaram o Smart Miner em residências como parte do teste de lançamento beta. O lançamento nacional está previsto para a segunda parte de 2021.

Na fase quatro, a Rowan espera poder apresentar-se como um fornecedor de energia licenciado, seguido por avanços potencialmente interessantes em veículos elétricos, solares e movidos a bateria.

O objetivo dos responsáveis da empresa é o de potenciar as mudanças na maneira como as pessoas compram e vendem energia, conseguindo a reforma necessária num setor que, cada vez mais, parece estar obsoleto.

 

Se quer receber mais informação sobre este comunicado poderá solicitá-lo no seguinte link:

Mais informação

Comunicados de imprensa relacionados

Consultoria gratuita de comunicação

Se tem um negócio, é importante cuidar e trabalhar a sua comunicação. A Comunicae oferece-lhe uma sessão gratuita com um dos nossos consultores para analisar e melhorar a sua estratégia de comunicação.

Peça-lo agora

Comunicados de imprensa destacados

    Sem dados, de momento.