X

Uso de cookies: Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar la experiencia de navegación y ofrecer contenidos y publicidad de interés. Si continúa navegando, consideramos que acepta su uso. Puede obtener más información, o bien conocer cómo cambiar la configuración, en nuestra Política de cookies

ComunicaeV5

A Schaeffler, a Johnson Matthey, a Bekaert e o TNO, juntos no aumento da eficiência da produção de hidrogénio renovável

Schaeffler, Bekaert, Johnson Matthey e TNO juntos na investigação no domínio do hidrogénio, cujo o objetivo é acelerar o desenvolvimento da PEM. O programa de investigação terá a duração de três anos.

Publicado no Sant Just Desvern o no Internacional , Ecologia , Indústria e energia , Sostenibilidad

A Schaeffler, fornecedor líder global dos setores automotivo e industrial, e a Johnson Matthey, líder internacional em tecnologias sustentáveis, associaram-se à Bekaert, fornecedor destacado de capas porosas de transporte para eletrolisadores PEM, e ao TNO, instituto independente de investigação líder no campo do hidrogénio, para desenvolver células que disponham de componentes otimizados para trabalhar em conjunto no sentido de aumentar a sua eficiência para utilização na eletrólise. O consórcio reúne as competências individuais mais destacadas de cada empresa para impulsionar tecnologias inovadoras que reduzam o custo nivelado do hidrogénio e melhorem a eficiência dos componentes. O programa de investigação partilhada será desenvolvido ao longo dos próximos três anos.

O hidrogénio renovável desempenhará um papel fundamental em todos os cenários de emissões líquidas zero e é crucial para descarbonizar os setores onde é mais difícil reduzi-las. A eletrólise é uma tecnologia utilizada para produzir hidrogénio renovável a partir da água e a energia de fontes renováveis; por este motivo, supõe uma tecnologia chave para conseguir uma energia com zero emissões. O cenário de 1,5 °C da IRENA (International Renewable Energy Agency, Agência Internacional das Energias Renováveis) prevê aproximadamente 5.000 GW de capacidade através de eletrolisadores em 2050, o que permitirá hidrogénio suficiente para satisfazer 12% da procura total de energia do planeta. Mas para garantir que assim seja, é essencial a inovação tecnológica e que a sua adoção seja acelerada.

O objetivo do consórcio consiste em agilizar o desenvolvimento da tecnologia PEM otimizando os componentes mais importantes da célula (stack) do eletrolisador. Em última análise, promoverá o desenvolvimento da nova geração de eletrolisadores PEM, com o que será possível reduzir o consumo de eletricidade, produzir hidrogénio de forma mais económica e mitigar a pegada ecológica. A equipa irá ainda investigar uma utilização mais eficiente de componentes e elementos vitais mas escassos, com o que aumentará a eficiência relativamente aos eletrolisadores atuais.

Com este objetivo, os parceiros irão colaborar num programa de investigação partilhada que durará três anos e lançará as bases para gerar eletrolisadores de forma altamente eficiente, duradoura e a baixo custo. Faz parte do programa VoltaChem, um Programa de Inovação Partilhada impulsionado pelo setor privado que apoia a indústria química, o setor energético e os licenciadores e fornecedores de equipamentos para que avancem para um futuro neutro para o clima.

"Estamos muito orgulhosos de poder contribuir para a produção competitiva de hidrogénio verde e apoiar esta equipa de importantes parceiros comerciais internacionais com a nossa experiência e inovações no campo da eletrólise da água PEM", disse Bernd Hetterscheidt, Senior Vice President Strategic Business Hydrogen na Schaeffler. "Facilitar e acelerar a transição energética é um dos objetivos principais da nossa estratégia na Schaeffler e constitui uma parte essencial do nosso Roadmap 2025, que inclui uma rápida aceleração de um processo de produção de células altamente competitivo e escalável. Acreditamos firmemente que participar em projetos tão promissores juntamente com parceiros que são líderes mundiais é a melhor forma de promover esta tecnologia".

Este consórcio internacional de primeira linha com a Schaeffler, a Bekaert, a Johnson Matthey e o TNO trabalhará, lado a lado, na investigação partilhada. Para avançar ainda mais rapidamente, o programa de investigação está aberto a novos participantes.

Declarações dos parceiros:

Segundo Richard Braal - Diretor de Mercado de Transição Energética no TNO, "O TNO está firmemente empenhado em combater o aquecimento global. Temos que acelerar e estimular a inovação e a implementação de novas tecnologias. Neste `Next Gen Electrolysis Shared Research Program´ (Programa de investigação partilhada sobre a eletrólise de nova geração) tornamo-lo possível, inovando junto aos líderes internacionais do setor. O TNO atua como um verdadeiro catalisador, trazendo conhecimentos profundos sobre a tecnologia dos eletrolisadores e a sua capacidade para orquestrar a inovação enquanto instituto independente de investigação".

"A transição energética está a ganhar velocidade e os governos estão a estabelecer objetivos ambiciosos para atingir as `zero emissões líquidas´. O hidrogénio verde é uma solução verdadeiramente neutra relativamente ao carbono e aqui temos a oportunidade de fomentar a inovação que converterá o hidrogénio em mais económico e fiável. A colaboração que este consórcio previu visa acelerar não só a área de foco da JM, mas a totalidade da tecnologia PEM", afirmou Ralph Calmes - Diretor Executivo de Tecnologias do Hidrogénio, Johnson Matthey.

Por seu lado, Inge Schildermans, Vice-presidente da Bekaert Fiber Technologies, disse: "A Bekaert continua a desenvolver soluções verdes e sustentáveis para os nossos clientes graças ao nosso enfoque em componentes que aumentem o seu rendimento para as futuras necessidades de eletrólise. Trabalhamos em estreita colaboração com os nossos parceiros de inovação no projeto `Supercell´ (Supercélula). Estamos comprometidos em inovar e aumentar a nossa pegada de produção para atingir a capacidade GW". 

"Juntamente com a nossa comunidade empresarial, propusemo-nos acelerar a inovação e implementação do Power-2-X para reduzir a pegada de CO2 no fabrico de produtos químicos. É fantástico verificar que os membros da VoltaChem deram mais um passo no seu ambicioso projeto para alcançar uma capacidade técnica sem precedentes na produção de hidrogénio verde e atingir assim uma posição única no mercado da sustentabilidade. Acreditamos que este é apenas o início do desenvolvimento de uma nova geração na indústria de processos sustentáveis de alta tecnologia", concluiu Martijn de Graaff - Diretor do Programa VoltaChem.

 

Sobre Schaeffler Group

O Grupo Schaeffler impulsiona desenvolvimentos inovadores nas áreas do movimento e da mobilidade há mais de 75 anos. Com tecnologias, produtos e serviços inovadores para a mobilidade elétrica, os acionamentos eficientes em CO2, a indústria 4.0, a digitalização e as energias renováveis, a empresa é um parceiro fiável para fazer com que o movimento e a mobilidade sejam mais eficientes, inteligentes e sustentáveis. A gama de produtos inclui componentes de precisão e sistemas para aplicações de transmissão de potência e chassis, assim como soluções de rolamentos e casquilhos de fricção para um grande número de aplicações industriais. Em 2021, o grupo Schaeffler gerou um volume de negócios aproximado de 13.900 milhões de euros. Com cerca de 83.000 trabalhadores, a Schaeffler é uma das maiores empresas do mundo de propriedade familiar. Com mais de 1.800 registos de patentes em 2021, a Schaeffler ocupa o terceiro lugar no ranking das empresas mais inovadoras da Alemanha segundo o Instituto Alemão de Patentes e Marcas.

 

Se quer receber mais informação sobre este comunicado poderá solicitá-lo no seguinte link:

Mais informação

Comunicados de imprensa relacionados

Consultoria gratuita de comunicação

Se tem um negócio, é importante cuidar e trabalhar a sua comunicação. A Comunicae oferece-lhe uma sessão gratuita com um dos nossos consultores para analisar e melhorar a sua estratégia de comunicação.

Peça-lo agora

Comunicados de imprensa destacados

    Sem dados, de momento.